Genera 2021, a feira do positivismo!
30 Novembro, 2021
Feliz Natal e próspero ano novo!
24 Dezembro, 2021

Como amortizar sua instalação fotovoltaica?

Se estas linhas lhe interessam, está no caminho certo e, sem dúvida, o primeiro grande passo que já deu, a sua instalação fotovoltaica!

A instalação de um sistema fotovoltaico de autoconsumo em residências ou empresas, quer na sua residência quer na sua vizinhança, apresenta grandes vantagens, é uma alternativa acessível e rentável, graças ao facto de nos últimos anos o preço ter sido reduzido e proporcionado uma melhoria energética eficiência como melhorias no desempenho dos painéis solares.
Depois de dar o passo e planear a sua instalação, tentaremos torná-la o mais eficiente e lucrativa possível.

Vários fatores devem ser levados em consideração, entre os quais destacamos os seguintes:

INCLINAÇÃO DOS MÓDULOS SOLARES:
Os ângulos de inclinação dos módulos solares, bem como a sua orientação azimutal (desvio a sul) são de grande importância na instalação de um bom sistema fotovoltaico, pois vão afetar o seu desempenho e a captação de energia da nossa instalação. Pequenos desvios podem ser aceites, porém nunca devem ser orientados para o norte. Em Portugal, a inclinação ideal para módulos solares varia entre 20 e 40 graus. Isso é dado pela latitude onde o país está localizado. Quanto mais próximo estiver do equador, menor será o ângulo de inclinação dos módulos, uma vez que os raios solares incidirão perpendicularmente. Isso significa que, em Portugal, nas zonas geográfica a sul o ângulo ideal deve ser de 20-25 graus, enquanto no norte é próximo a 40 graus.

ORIENTAÇÃO DOS MÓDULOS SOLARES:
Com uma má orientação dos painéis solares não só vamos desperdiçar grande parte da energia, mas também pode afetar parte das células que compõem os módulos e até inutilizá-las. Respeitando a orientação, iremos garantir o bom funcionamento de nossas instalações.

ORIENTAÇÃO DO TELHADO:
Esta é uma informação que quase toda a gente não conhece, no entanto, é tão simples como aceder ao Google Maps e procurar o endereço. Assim, podemos saber para onde cobertura está orientada. Saber a orientação da nossa cobertura para saber se é a recomendada é muito importante para amortização, lembre-se que o ideal é que a nossa instalação fotovoltaica esteja orientada para sul.

SOMBREAMENTOS:
Devemos levar em consideração as sombras que muitas vezes escapam ao nosso alcance, como as geradas por outros obstáculos. Para fazer isso, o uso de optimizadores pode-nos ajudar. É um componente que faz parte da instalação fotovoltaica e tem como objetivo reduzir as possíveis perdas que podem ocorrer nos painéis por sombras parciais geradas por obstáculos, e até por sujeira. Nos locais onde neva com frequência, é aconselhável instalar os painéis solares em telhados de forte inclinação, pois por um lado o seu ângulo de inclinação favorece o inverno e por outro permitem que a neve que cai deslize e evita acumular-se no topo dos módulos.

A POTÊNCIA DE PICO (kWp) E A POTÊNCIA NOMINAL (kWn):
Esses dois termos são muito importantes na nossa instalação fotovoltaica. A potência de pico refere-se à quantidade de kW instalados (na forma de painéis solares fotovoltaicos), enquanto a potência nominal refere-se à potência do inversor, o equipamento elétrico que transforma a energia gerada pelos módulos em energia alternada para ser autoconsumida e que limita a potência máxima de energia gerada, pois não pode produzir mais do que a sua potência nominal. Em muitas ocasiões, costuma-se instalar uma potência de pico superior à nominal, para tentar cobrir 100% da capacidade do inversor pelo máximo de tempo economicamente viável.

E, por último, mas não menos importante, a escolha dos melhores fabricantes e com ela, do melhor material, é fundamental para esta questão. Dependendo do tipo de instalação de que precisamos, os elementos variam. Coloque-se sempre nas mãos de profissionais para o melhor desenho e funcionamento da sua instalação fotovoltaica.

Os comentários estão fechados.